Você sabia que a Esclerose Múltipla afeta a visão também? Vamos combatê-la juntos nesse Dia Nacional de Conscientização sobre a Esclerose Múltipla!

Estresse e a visão: qual a relação?
14 de agosto de 2019
Novembro Azul: Não feche os olhos para a sua saúde!
1 de novembro de 2019

Você sabia que a Esclerose Múltipla afeta a visão também? Vamos combatê-la juntos nesse Dia Nacional de Conscientização sobre a Esclerose Múltipla!

3de Agosto é o dia Nacional de Conscientização sobre a Esclerose Múltipla, e dentre as diferentes partes do corpo que ela pode afetar, uma delas é a visão! Mas afinal, o que é a EM (Esclerose Múltipla) e o que ela causa? 

Como o próprio nome da doença já diz, a EM é uma junção de múltiplas escleroses (cicatrizes, em termos mais claros) espalhadas pelo sistema nervoso, responsável por transmitir os impulsos elétricos do cérebro até as outras partes do corpo. Essas cicatrizes são causadas por inflamações que destroem a mielina, uma camada que funciona como uma espécie de membrana protetora para o transporte desses impulsos nervosos. 

É por causa dessas inflamações que nos primeiros anos depois de ocorrer o aparecimento da doença, os problemas causados como o desequilíbrio ao andar ou a perda de visão podem desaparecer após um certo período de tempo, entretanto, com o passar do tempo e com a frequência de crises, pode haver uma espécie de “acúmulo” dessas cicatrizes, e por isso algumas pessoas podem apresentar sequelas permanentes ou que levam um maior tempo de recuperação. 

E é assim que esse problema pode afetar a visão. 

Dentre os problemas causados pela esclerose múltipla, um deles é conhecido como a neurite óptica, considerada passageira e que tem como principais sintomas a perda do entendimento de algumas cores, a presença de visão embaçada, dor nos olhos e perda de parte da visão periférica (como se houvesse uma espécie de vinheta fotográfica ao redor das imagens). 

Apesar de comum, a neurite óptica pode reaparecer em diferentes momentos da vida de uma pessoa que sofre com a doença, e felizmente pode desaparecer no período de algumas semanas. 

Mas como saber se posso estar sofrendo de esclerose múltipla? 

Os sintomas da esclerose múltipla podem facilmente ser confundidos com a presença de outras doenças do sistema nervoso, entretanto, o que os difere e ajudam a diagnosticar a EM é o tempo que eles levam em média para desaparecer do paciente. 

Dentre os sintomas mais frequentes da esclerose múltipla estão: a presença de visão dupla ou turva (presentes também na neurite óptica), formigamentos espalhados pelo corpo, espasmos musculares, fraqueza, fadiga e até mesmo falta de equilíbrio para se locomover. 

É importante lembrar que levar uma vida saudável e livre de vícios é sempre o melhor remédio e também a melhor forma de evitar o aparecimento de diversas doenças em nosso organismo, e a EM é uma delas. Hábitos como a falta de exercícios e o tabagismo podem favorecer a esclerose múltipla, por isso evite levar uma vida sedentária e cuide da sua saúde!  

Vamos lutar contra essa doença juntos? Seguir o tratamento adequadamente e diagnostica-la o mais cedo possível ajuda a evitar sua progressão e possibilitam ao paciente levar uma vida normal e muito mais tranquila. 

Por isso nós deixamos a dica: realize exames periodicamente, busque um oftalmologista no caso de quaisquer problemas de visão que possam aparecer e se mantenha em dia com a sua saúde de maneira geral. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *