Estrabismo: sintomas, causas e tratamentos

Cirurgia de Catarata: 10 dúvidas mais comuns
13 de setembro de 2018
7 motivos para visitar agora o oftalmologista
28 de setembro de 2018

Estrabismo: sintomas, causas e tratamentos

O que é o estrabismo? 

Também conhecido como vesgueira ou vesguice, o estrabismo é quando há um desequilíbrio entre os músculos oculares, fazendo com que os olhos não fiquem paralelos. Isso pode ocorrer em somente um dos olhos, quanto nos dois ao mesmo tempo. O que muitos não sabem é que o estrabismo pode ser intermitente, ou seja, acontecer durante alguns períodos do dia ou da vida do paciente. 

 

Causas do estrabismo 

Existem seis músculos oculares que devem trabalhar em harmonia para que o olho fique na direção adequada. Quando há a falha e um ou mais destes, ocorre o desequilíbrio (estrabismo). 

 

Provavelmente você conhece alguém com estrabismo e que possui essa condição desde pequeno. Isso porque, durante o desenvolvimento, pode haver uma complicação nos músculos oculares, modificando a direção dos olhos.  

 

Mas, o estrabismo pode aparecer sim em adultos que possuem uma visão regular. Doenças como diabetes, distúrbios da tireóide, hipertensão arterial, AVC, alta miopia e outras mais podem afetar esse mecanismo, desenvolvendo o estrabismo. 

 

Quais são os tipos de estrabismo? 

A direção dos olhos é o que vai diferenciar cada tipo de estrabismo. São eles: 

 

– Convergente (esotropia): quando o olho afetado pelo estrabismo está voltado para o centro do rosto, isto é, o nariz. 

 

– Divergente (exotropia): quando o olho afetado pelo estrabismo está voltado para a parte externa do rosto, isto é, a orelha. 

 

– Vertical (hipertropias): o olho afetado pelo estrabismo está voltado para a parte inferior do rosto (bochecha) ou para a parte superior (testa). 

 

– Alternante ou intermitentes: quando o desvio ocular reveza entre os olhos. 

 

– Latente: este tipo de estrabismo só é identificável em testes clínicos. O paciente apresenta dores, ardências nos olhos e visão embaçada, mas fora isso não existe outro sintoma aparente. 

 

– Pseudoestrabismo: fatores de ordens funcionais ou anatômicas dão a sensação de um desvio dos olhos. Essa condição pode ter como causas doenças pré existentes, fatores genéticos, traumas e outros fatores. Já seu tratamento conta com diversas alternativas, cirúrgicas ou não. 

 

Sintomas do estrabismo 

Além do visível desalinhamento ocular, dores de cabeça, torcicolo e desconforto durante tarefas extremamente visuais são alguns dos sintomas do estrabismo. 

 

A visão dupla ocorre em pacientes que desenvolvem a doença na fase adulta, ou em casos de estrabismo severo. 

 

Como identificar se um bebê está com estrabismo? 

Até o seis meses de idade, é normal que a criança tenha estrabismos momentâneos. Caso esse quadro se manifeste após essa idade, é recomendado um estudo mais apurado da situação. 

 

Como até uma certa idade a criança tem dificuldade em manifestar suas necessidades e desejos, alguns sinais podem ajudar na identificação do estrabismo. 

 

Caso a criança entorte a cabeça para ver, feche um olho quando está na claridade e piscar constantemente, leve-a ao médico e avise-o desses sintomas. Todos são fortes indicativos da presença de estrabismo. 

 

Quais são os tratamentos para estrabismo? 

 

Tampão ocular 

  • Mais comum para crianças até 3 anos de idade. 
  • O tampão é utilizado o olho sem desvio. 
  • Deve ser utilizado por um período diário de no mínimo 3 horas. 
  • Ao evitar que o cérebro ignore as imagens enviadas pelo olho com desvio, o tampão tem por objetivo forçar o olho com estrabismo para a posição normal. 

 

Exercícios oculares 

  • Exercícios que são orientados pelo médico oftalmologista. 
  • Prática que tem resultados eficientes, dependendo da severidade do estrabismo. 
  • Tem por objetivo fortalecer os músculos oculares e eliminar o problema. 

 

Toxina botulínica 

  • A aplicação da Toxina botulínica, popularmente conhecida como Botox, é uma saída para o estrabismo. 
  • A substância é aplicada diretamente no músculo ocular, bloqueando os impulsos nervosos da região e, consequentemente alinhando os olhos. 
  • Este procedimento é indicado para os casos mais leves e devem ser feitos com a prescrição de um médico oftalmologista. 

 

Utilização de óculos 

  • A utilização dos óculos reduz o esforço para focalizar a imagem observada e, consequentemente, endireita os olhos. 
  • Os óculos podem ser receitados somente para o estrabismo ou para solucionar algum outro problema visual como miopia ou astigmatismo. 

 

Intervenção cirúrgica 

  • Recomendada quando os procedimentos citados acima não obtiveram sucesso. 
  • A cirurgia irá reposicionar ou encurtar o músculo ocular através de micro incisões. 
  • O procedimento pode levar até 2 horas e o paciente recebe alta no mesmo dia. 
  • A visão começa a se estabilizar após duas semanas. 

 

Se identificou com o texto? Então nos procure para agendarmos uma consulta com um especialista! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *