3 dicas importantes sobre Cirurgia Refrativa

HOSC conquista Selo Prata de atendimento do sistema Unimed
7 de abril de 2018
O que é Daltonismo? Faça o teste
12 de junho de 2018

3 dicas importantes sobre Cirurgia Refrativa

A cirurgia refrativa é um procedimento considerado simples, que dispensa a necessidade de internação, adotado para a correção de erros refrativos do olho como a miopia, a hipermetropia e o astigmatismo.

O laser é utilizado para modificar o formato original da córnea com a finalidade de levar a imagem na posição correta sobre a retina para que se elimine o uso de óculos ou lentes de contato. Além da consulta oftalmológica normal, serão realizados exames complementares para afastar a existência de alterações no olho que possam contra-indicar a cirurgia e também para escolher a técnica cirúrgica mais adequada.

1. Quando fazer?

É importante salientar que a cirurgia refrativa não tem como objetivo estabilizar o grau do paciente, e sim de eliminar o grau que o paciente possui no momento do procedimento. Por isso, o ideal é que o paciente tenha idade superior a 21 anos, já que é nesta fase que o grau geralmente se estabiliza.

 

2. Fatores que devem ser observados para a realização da cirurgia: 

  • Espessura da córnea compatível com a quantidade de grau a ser tratada:

Quanto maior a grau a ser tratado, maior será a quantidade de tecido corneano consumido. Por isso alguns pacientes com graus extremamente elevados não conseguem eliminar o grau por completo, mas mesmo assim acabam se beneficiando, já que o grau residual será bem menor e com possibilidade de uso de lentes de menor espessura.

  • Inexistência de patologias que deformam e tornam a córnea mais fina:

Patologias como o ceratocone;

  •  Inexistência de doenças oculares infecciosas:

Dentre elas, típicas doenças como conjuntivite, blefarite, úlcera de córnea, glaucoma dentre outras;

  • Gravidez

 

3. Quais os principais procedimentos? 

Dentre as técnicas mais utilizadas para a realização da cirurgia estão o LASIK e o PRK.

  • O LASIK consiste na aplicação do laser após o corte e levantamento de uma fina camada da superfície corneana (flap). Após a aplicação do laser, a fina camada corneana é reposicionada.
  • O PRK, que tem sido a principal escolha entre os cirurgiões, consiste na remoção do epitélio da superfície corneana para a posterior aplicação do laser. Ao término da cirurgia, coloca-se uma lente de contato terapêutica sobre a córnea. Dor e desconforto ocular de intensidade variável pode surgir após a cirurgia, mas ela é bem tolerável devido a presença da lente de contato terapêutica que permanece por aproximadamente 5 -7 dias, tempo necessário para a regeneração do epitélio da córnea. Tem a vantagem de diminuir a existência de olho seco após a cirurgia, pois não há a necessidade da confecção do flap corneano como no LASIK, evento este que promove o rompimento de algumas terminações nervosas responsáveis pelo mecanismo de lubrificação do olho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *