• Dia Mundial Da Diabetes

    Dia Mundial Da Diabetes

    O Dia Mundial do Diabetes é celebrado em 14 de novembro. A data foi escolhida pela ONU para marcar um compromisso com a conscientização das pessoas sobre esse gravíssimo

    problema de saúde pública, que vem aumentando seus índices de forma alarmante. No Brasil, a Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) é a responsável pela campanha.

    Origem do Dia Internacional da Diabetes

    Criado em 1991 pela International Diabetes Federation (IDF) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS), este dia tem como objetivo dar resposta ao aumento alarmante de casos de diabetes no mundo. A celebração da data tornou-se oficial no ano de 2007 após aprovação das Nações Unidas em dezembro de 2006.

    O Dia Mundial da Diabetes (World Diabetes Day) é comemorado a 14 de novembro, em memória do dia de aniversário de Frederick Banting, que, juntamente com Charles Best, criou a primeira ideia que levou à descoberta da insulina em 1922. Todos os anos é escolhido um tema pela Federação Internacional de Diabetes para alertar sobre as problemáticas e necessidades que enfrentam os doentes diabéticos. Para 2015, a organização do Dia Mundial do Diabetes no Brasil focou no tema: “Qualidade de Vida & o Diabetes“. O que chama atenção para a campanha deste ano são as informações sobre alimentação, atividade física e cuidados para melhorar a qualidade de vida das pessoas com diabetes.

    A Doença

     

    A diabetes é uma doença complexa e progressiva que afeta os vasos sanguíneos de todo o corpo e do olho. Um material anormal é depositado nas paredes dos vasos sanguíneos da retina que é a região conhecida como “fundo de olho”, causando estreitamento e às vezes bloqueio do vaso sanguíneo, além de enfraquecimento da sua parede. A Retinopatia Diabética se caracteriza pelo acúmulo de açúcar nos vasos sanguíneos que irrigam a retina. Este acúmulo vai aos poucos deteriorando as células, que ficam mais permeáveis e acabam formando edemas na retina. Tais lesões podem levar à distorção das imagens captadas pela retina, que é a parte do olho responsável pela captação da imagem e seu envio ao cérebro, podendo levar a uma perda parcial ou total da visão.

    Riscos

     

    Estima-se que 90% dos pacientes de diabetes tipo 1 e 60% dos pacientes do tipo 2 devem desenvolver a Retinopatia Diabética ao longo da vida.
    Vale lembrar ainda que não se trata de uma doença ligada à idade, sexo, raça ou condição socioeconômica. A retinopatia atinge também adolescentes e adultos jovens, caso eles não controlem bem a taxa glicêmica. As pessoas que têm diabetes apresentam um risco de perder a visão 25 vezes maior do que as que não possuem a doença. A Retinopatia Diabética atinge mais de 75% das pessoas que têm diabetes há mais de 20 anos.

    Tratamentos

    O controle cuidadoso da diabetes com uma dieta adequada, uso de medicamentos hipoglicemiantes, insulina ou com uma combinação destes tratamentos, que são prescritos pelo médico endocrinologista, são a principal forma de evitar a Retinopatia Diabética. Uma vez instalada a doença o acompanhamento rigoroso com o oftalmologista é imprescindível para o seu controle e indicação do tratamento adequado. O tratamento da Retinopatia Diabética depende do estágio da doença. Nas fases não proliferativas (quando não há a formação de vasos sanguíneos anormais), dificilmente uma intervenção cirúrgica é necessária. O acompanhamento periódico, porém, segue fundamental para o controle da doença. Já a fotocoagulação a laser se fará necessária quando há lesões avançadas e a formação de vasos anormais. Fotocoagulação por raios laser é o procedimento pelo qual pequenas áreas da retina doente são cauterizadas com a luz de um raio laser na tentativa de prevenir o processo de hemorragia. O ideal é que este tratamento seja administrado no início da doença possibilitando melhores resultados. Nenhum dos tratamentos disponíveis hoje consegue restaurar totalmente a visão já perdida, apenas retardam ou estabilizam o processo. Por isso é extremamente importante a consulta periódica ao oftalmologista para que as alterações, se presentes, sejam descobertas no início e o seu tratamento o mais precoce possível.

    A equipe do HOSPITAL DE OLHOS DE SANTA CATARINA (HOSC) está capacitada para o diagnóstico, tratamento, dúvidas e acompanhamento se você é diabético e portador (ou não)

    de Retinopatia Diabética. Agende uma visita e esclareça todas as suas dúvidas. Dr. Eduardo Braga (CRMSC: 10223/RQE: 4605) – Setor de Retina e Vítreo do HOSC.
    Créditos:

    CBO – Conselho Brasileiro de Oftalmologia / SBRV – Sociedade Brasileira de Retina e Vítreo / SBD – Sociedade Brasileira de Diabetes.

    Comente

Deixe um comntário

Cancelar